Santa Claus is coming to town!

...peço ao Pai Natal que me "traga"/vos "traga" muita audácia para enfrentar tempos cinzentos… Pois, como diria Goethe, a audácia tem génio, força e magia em si!
Um grande beijinho,
Liliana Fernandes 

WISHLIST| YOU ♥





És sorriso, és emoção e acelerar da pulsação.
És verso. Planeta do meu universo.
És segredo, és verdade e és a minha vaidade.
 És rima, és refrão.
 És o alimento da minha paixão.
És prosa, és poesia.
És motivo da minha alegria.
És conteúdo dos meus sonhos, és tema do meu imaginário.
E dos meus dias és cenário.
És cegueira da minha razão e coragem do meu coração.
És dança. Centelha das minhas esperança.
És inspiração pra minha palavra….És estímulo.
És frase, parágrafo, introdução, capítulo…
...
Sim, te desejo como história sem fim.

By Liliana Fernandes

HOJE FUI PARA A COZINHA| Bolo de Iogurte com Frutos Silvestres

Ingredientes:
  • 4 ovos grandes
  • 1 iogurte natural
  • 3x a medida do iogurte de açuçar
  • 3x a medida do iogurte de farinha
  • 1x a medida do iogurte de óleo
  • 1 colher de chá de fermente
  • 1 colher de chá de aroma de baunilha
  • raspa de 2 limões
  • 300 g de frutos silvestres ultracongelados
Bater os ovos com o açúcar. Juntar o iogurte, o aroma de baunilha, a raspa dos dois limões, a farinha, o fermento e o óleo. Por fim, adicionar os frutos, envolvendo-os na massa anteriormente preparada.
Levar ao forno, aquecido a 180º, por cerca de 40 minutos.
Polvilhar com açúcar em pó.

E assim iremos brindar a chegada do Inverno: bolo+bebida bem quentinha (chá para mim)+uma qualquer comédia romântica (que até pode ser a nossa!).
Um doce fim-de-semana para vocês, também!

❅❅ MARCO DE CORREIO ❅❅

Fotografia| Butterflies & Hurricanes
O meu novo mealheiro ...
(pronto a receber correspondência valiosa!!)

ALDEIA NATAL EM CHOCOLATE

A nossa equipa de Hotelaria/Cozinha-Pastelaria é ou não é talentosa?!
ETAP - ESCOLA PROFISSIONAL
Unidade de Formação de Hotelaria
www.etap.pt

A Aldeia Natal é resultado de uma Atividade de Enriquecimento Curricular - Exposição"Valença Cidade Presépio" - levada a cabo pelos professores e alunos dos Cursos de Hotelaria/Cozinha e Pastelaria da ETAP – Escola Profissional| Unidade de Formação de Vila Praia de Âncora. Atividade que envolveu, com toda a certeza, muitas horas de dedicação, trabalho em equipa, rigor, disciplina, criatividade, talento, motivação e, como é habitual nesta equipa, boa disposição...

Parabéns!

RECORTES DE IMPRENSA| Os melhores países para trabalhar

“Emigrar não deve ser apenas uma consequência da falta de emprego no país de origem, mas uma forma de “ganhar mundo” e assim adquirir vantagens competitivas que nos poderão diferenciar quando se der o regresso à pátria, para nela investir e criar valor.”-- Ricardo Nobre 

Conheça a lista de destinos que segundo um estudo do banco britânico HSBC são os melhores para viver e trabalhar como emigrante ou expatriado: http://expressoemprego.pt/noticias/os-melhores-paises-para-trabalhar/3263

AÇÃO DO DIA| TRANSFORMAR A IRRITAÇÃO EM SORRISOS :)


FRASE DO DIA| Existe um tipo de amor, um único, cujo objetivo é a separação...

Existe um tipo de amor, um único, cujo objetivo é a separação: o amor dos pais pelos seus filhos. O amor dos pais que é realmente bem-sucedido é aquele que permite que a criança se torne independente e que se separe da vida dos pais tão cedo quanto possível; quanto mais precoce for esta separação tanto mais bem-sucedido terá sido o amor dos pais.

Existe uma definição de filho, da qual desconheço a autoria (na internet erradamente atribuída a José Saramago*), que considero perfeita: “Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar os nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isso mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é expor-se a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo!”

* Esclarecimento feito por Rita Pais, da Fundação José Saramago, a esse respeito: “Temos sido questionados com frequência acerca deste assunto, e o que podemos esclarecer é que não reconhecemos o texto que circula na web como sendo da autoria de José Saramago, supondo nós tratar-se de mais uma falsa atribuição de autoria, como tantas outras impossíveis de impedir de circular…” 
Sem mais e Cordialmente,
Rita Pais -- Fundação José Saramago

Prendas de Natal? Uma sugestão muito especial! ♥

Agenda Heartless foi convidada para estar presente em "Mercado de Natal". Uma experiência muito agradável, onde se destacaram: as baixas temperaturas, a tradição, a bela paisagem e a ótima companhia! 
10h00 da manhã e o branco ainda dominava
Talvez explicaria...
Agenda Heartless é uma Agenda Intemporal de Edição Limitada (500 exemplares). Trata-se de um trabalho que concilia o texto e a ilustração.
A cada mês foi associado um tema. A cada tema foi dedicado um tema principal, ilustrado pela Mafalda Gomes, e vários pensamentos soltos (textos da autoria de Liliana Fernandes).

TEMAS
janeiro| “Todos temos o mesmo objetivo na vida: Ser Feliz!”
fevereiro| “Fala-me de amor.”
março| “Conhece-te a ti mesmo.”
abril| “A Palavra é força.”
maio| “Só pode amar e amar-se quem foi amado.”
junho| “As crianças gostam mesmo é de beijos, abraços e surpresas!”
julho| “E se tu me cativares, e se eu te cativar?”
agosto| “Mesmo só vá de Férias!”
setembro| “Devemos ser uns para os outros”
outubro| “Pare, escute, olhe e … decida!”
novembro| “As boas recordações não pesam nem ocupam espaço.”
dezembro| “Mais (de tudo o que me faz falta).”

"Liliana Fernandes é psicóloga e mora em Monção. Mafalda Gomes é ilustradora/designer e está em Lisboa. As diferenças e os 450 quilómetros aproximaram-nas. Conheceram-se "por acaso" e a agenda "Heartless" ficou pronta a 19 de Dezembro — e não foi por acaso. "É uma menina racional mas que no fundo tem as emoções na palma da mão”, explicou ao P3 Liliana. "É resultado daquilo que eu e a Mafalda somos, enquanto pessoas e profissionais: racionais, sonhadoras, um pouco infantis, muito emotivas e... perseverantes"." – P3.Público

"Duas amigas à distância. Uma agenda que não cumpre o ritmo temporal habitual. Feita com o coração mas que se chama “Heartless”. Terão sido estes aparentes paradoxos, ou rutura de conceitos que terão ditado o sucesso quer da agenda quer da votação, dando a vitória a Liliana Fernandes (Psicóloga – Textos) e Mafalda Gomes (Designer – Design e Ilustração)."Behance in Portugal

“A agenda designa-se de Heartless, porque segundo Liliana Fernandes, é representada pela “menina sem coração, mas no fundo tem as emoções na palma da mão. É um misto de racional e emocional.”-- Jornal a Terra Minhota

PARTILHO DA MESMA OPINIÃO...

"também acho estranho que muita gente diga mal do acordo ortográfico quando não lhes vejo pudor em dizer selfie e site, like, smartphone e download, ou deslocalização e coalisão mais outras americanices que nos afastam mais da alma portuguesa do que qualquer c que desapareça. esta da moda do selfie, ou das selfies, irrita-me muito. é parolo. acho parolo. desculpem. lembra-me aquela frase do antigamente: "maria, não sejas francesa"."-- Valter Hugo Mãe

FRASE DO DIA| "Crescer é aprender a dizer adeus para certas coisas."

Depois de parar para pensar na frase que tinha acabado de ler: “Crescer é aprender a dizer adeus para certas coisas", (matematicamente pensando) concluí: de facto, até determinada idade, a operação dominante é a adição. Mas, a partir de determinada altura, o grande desafio é aprender a viver, principalmente, pela subtração…
Dito de outra forma, antes dos trinta, as pessoas vivem por dependência, adquirem constantemente coisas de que precisam: experiência, riqueza, relacionamentos, reputação e assim por diante. Depois dos trinta, temos de aprender a viver pela subtração – temos de deixar ir o que passa a estar “ a mais” na nossa vida.
Aprendermos a viver pela subtração significa afastarmos as pessoas que não queremos para amigos, recusarmo-nos a fazer coisas que não queremos fazer, perdemos aquele autocontrolo que nos impede de dizer certas coisas,… Penso que ser adulto é mais ao menos isso: descobrir as nossas verdadeiras prioridades, e investir o nosso tempo no que nos deixa felizes. Em suma, “viver é aprender a dizer adeus para certas coisas”!

RECORTES DE IMPRENSA

Mandela
Ilustração de André Carrilho e Luís Lázaro: "Mandela"
Publicado no Diário de Notícias, 8 de dezembro 2013

SE TIVESSE NASCIDO MÚSICA [2]

Continuando a lista, também não me importaria de ser resultado de uma criação de Nitin Sawhney.
Porque a sua música é uma celebração das espécies, das raças, das culturas, da vida.

FRASE DO DIA| "I am the master of my fate; I am the captain of my soul."

‘(...) It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll.
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.’

Invictus,
William Ernest Henley 

Mais do que dizer o quanto sinto a partida de Nelson Mandela, mais do que partilhar as suas sábias palavras, procuro, neste breve texto, demonstrar porque é que Mandiba (ou Madiba) é um daqueles casos raros de seres humanos dos quais se pode afirmar que chegou ao último estádio/nível de desenvolvimento moral - ponto máximo de maturidade e consciência moral
Para iniciar, coloco uma questão: quantos de nós se revelaria pronto a morrer por uma causa/por um princípio ético e universal?

Moralidade tem a ver com a ação de um ego, de um sujeito que relaciona a sua ação com a ação dos outros (interação). Pressupõe uma causa de ação, uma explicação para as razões, motivos, intencionalidade do ator/sujeito.

De acordo com a teoria de Kohlberg, o desenvolvimento moral evolui ao longo de 6 estádios/níveis, independentemente da cultura, grupo social ou país.. Os estádios/níveis representam o desenvolvimento da perspetiva sociomoral dos indivíduos em direção à descentralização crescente, partindo-se do interesse pessoal (egocentrismo/heteronomia), passando pelo dever de manutenção de normas (semi-autonomia), até o pensamento orientado por princípios éticos universais (autonomia/descentração), ponto máximo de maturidade e consciência moral. Segundo Kohlberg, muitos adultos não chegam ao estádio/nível 5 e são raros os que chegam ao estádio 6.

[6º Princípios Éticos e Universais: o indivíduo reconhece esses princípios e age de acordo com eles. Se as leis injustas não puderem ser modificadas pelos canais democráticos legais, o indivíduo ainda assim resiste-lhes. É a moralidade da desobediência civil, dos mártires e dos revolucionários pacifistas e de todos os que permanecem fiéis aos seus princípios, sem se conformarem com o poder, quando este estabelece uma ordem injusta. A perspetiva adotada é a de um ponto de vista moral, onde qualquer ser racional que reconhce como natureza da moralidade o facto de que as pessoas são um fim em si mesmas e precisam ser tratadas como tal.]

Existem dúvidas de que Nelson Mandela, há muito, se encontrava no 6.º estádio de desenvolvimento moral?
Mandela, no seu julgamento por atividades de sediação e sabotagem em 1963-1964 (‘Rivonia Trial’), declarou-se pronto a morrer pelos seus ideais de igualdade e democracia. Os advogados de defesa terão tentado convencê-lo do contrário, mas Mandela manteve-se  ‘Invictus’ e preferiu correr o risco de ser condenado à pena de morte. Felizmente tal não aconteceu mas passou quase 3 décadas na prisão.
O poema Invictus , de William Ernest Henley, inspirou Nelson Mandela durante o seu calvário de 27 anos na prisão, a maioria dos quais passados em trabalhos forçados e condições desumanas em  Robben Island.
Durante toda a sua vida, mas principalmente nessa fase, Mandiba revelou uma extraordinária capacidade de resistir integro (invictus) à terrível opressão que sofreu em função da sua longa luta pelo fim da Discriminação Racial (cristalizada em lei, durante o apartheid, no seu país).

Para além dessa fase, Mandela lutou em prol da reconciliação interna e externa. Perdoou, publicamente, os próprios carrascos e ter criou uma comissão para investigar os crimes cometidos tanto pela oposição negra como pelos dirigentes brancos. Se isso não bastasse, apanhou todos de surpresa ao ter abandonado, voluntariamente,  o poder, coisa rara entre os presidentes africanos.

Se ainda não viram o filme aconselho. Pela história, pelo realizador, pelos atores, mas, acima de tudo, pela lição de vida. Este filme, para além de muitos outros aspetos, deixa bem evidente a importância de um povo, de uma nação, partilhar a mesma linguagem, principalmente partilhar uma mesma linguagem de emoções. Isso une. 
Só de rever o Trailer emocionei-me.

Muito mais poderia dizer acerca deste meu ídolo, mas prefiro apenas acrescentar a pergunta: “Como é possível alguém sofrer o que este HOMEM sofreu e, ainda assim, ser capaz de perdoar?” Parte da resposta talvez esteja na deixa de um segurança de Mandiba que, numa cena de Invictus, afirma para outro colega: “para ele, ninguém é invisível”.

Há pessoas que passam no mundo como cometas brilhantes.
Obrigada.

O AMOR É #7

Ilustração de Zurab Martiashvili
Uma parceria, apetecida, de:
Caminhada
Voo
Sonho
Vida

(Que o nosso voo seja sempre assim: sincronizado <3)

VÍDEOS IMPERDÍVEIS| “Comi todos os teus doces de Halloween”

De acordo com a tradição, no dia de Halloween, as crianças norte-americanas saem fantasiadas de bruxas e monstros pelas ruas do bairro/rua onde vivem, pedindo doces pelos vizinhos. Protagonizando o famoso momento “doçura ou travessura?“.
Depois de encherem as suas sacolas/baldinhos de chocolates, doces e outras guloseimas, as crianças regressam a casa, e partem para melhor parte da data: comer os doces. É tanto doce que geralmente há excedente. O que, como é óbvio, não é problema: há doces para o dia seguinte! 

Em que consiste o presente vídeo? Alguns pais, respondendo ao desafio colocado no programa televisivo de Jimmy Kimmel, pregam uma partida aos seus filhos dizendo-lhes (apesar de não o terem feito): “Comi todos os teus doces de Halloween. Como seria de esperar, as reações fazem as nossa delícias! Mesmo furiosas, algumas conseguem-nos surpreender! As três últimas reações e, pelo meio, as das gémeas são as minhas favoritas. E gostei, particularmente, de uma resposta: “eu não estou zangado, só não me sinto feliz”!

O vídeo não tem legendas, mas nem precisa! 
Muitas ilações, sobre estas reações, poderiam ser feitas, não é verdade?!
Mas, principalmente, este vídeo, desafia-nos a refletir sobre a seguinte questão: "Estarão as nossas crianças preparadas para lidar com a frustração?"

EM VIAGEM| Memórias do Tibete

Em 2010, tive a oportunidade de realizar uma das viagens dos meus sonhos: Tibete. Viagem que teve início em Katmandu, Nepal (onde aguardamos o visto que nos autorizou a entrada no Tibete), seguindo-se Lhasa (capital tibetena) e, posteriormente, subida até ao acampamento base (norte) do Monte Everest, situado a uma altitude de 5150 m, aí conheci o mais azul dos céus... - imagem que viverá gravada em mim.
Por terras tibetanas, para além de muitas outras "coisas" para as quais me faltam palavras para as descrever, conheci o silêncio perfeito. Percebi, com o breve contacto com nómadas tibetanos, que a natureza lhes proporciona tudo aquilo de que necessitam (mesmo quando parece ter tão pouco para oferecer), aprendendo, dessa forma, que os conceitos de escassez e pobreza podem ser bastante relativos (ou o de riqueza, dependendo da perspetiva com que se encare a nossa perceção do mundo!). Percebi, ainda, o quão nós, ocidentais, nos escravizamos em prol de necessidades por nós criadas/impostas... Esta viagem, da qual um dia partilharei fotografias e mais detalhes, foi uma verdadeira lição, foi como que um súbito distúrbio no meu padrão de vida...

 Esta frase (e imagem) do alpinista português João Garcia diz tudo...

FRASE DO DIA! Do que é que eu gosto? Simples: eu gosto de gostar.

É a possibilidade de gostar e de alimentar as minhas paixões que me motiva, que me leva a criar objetivos, que me impõe metas, que me faz dar o máximo de mim... que dá significado aos meus dias. Se assim não fosse, viver seria um fardo, um castigo... Daí, concluo que o verbo que melhor combina com viver é: GOSTAR, e a aptidão é: SABER GOSTAR!

O MEU MUNDO EM POEMAS| "Ela canta, pobre ceifeira"

Várias vezes me questiono, e já o fiz aqui no blog: Quando a cabeça não pensa o corpo adoece. Mas...quando a cabeça pensa demais o que é que acontece? Enriquece?... Sempre pensei muito, em tudo e em todos. Não, não estou insatisfeita com a vida, mas um pouquinho de racionalidade a menos não me ficava mal! É que esta atitude, diria natural e inconsciente, por vezes cansa, desgasta...
Posto isto,  o poema "Ela canta, pobre ceifeira", de Fernando Pessoa, teria de ser um dos "meus" poemas...

Ela canta, pobre ceifeira, 
Julgando-se feliz talvez; 
Canta, e ceifa, e a sua voz, cheia 
De alegre e anônima viuvez, 

Ondula como um canto de ave 
No ar limpo como um limiar, 
E há curvas no enredo suave 
Do som que ela tem a cantar. 

Ouvi-la alegra e entristece, 
Na sua voz há o campo e a lida, 
E canta como se tivesse 
Mais razões pra cantar que a vida. 

Ah, canta, canta sem razão! 
O que em mim sente ‘stá pensando. 
Derrama no meu coração a tua incerta voz ondeando! 

Ah, poder ser tu, sendo eu! 
Ter a tua alegre inconsciência, 
E a consciência disso! Ó céu! 
Ó campo! Ó canção! A ciência 

Pesa tanto e a vida é tão breve! 
Entrai por mim dentro! 
Tornai Minha alma a vossa sombra leve! 
Depois, levando-me, passai! 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

DO MEU NATAL [4]| Este ano deu-me para isto: árvore 90% artesanal e low cost!

 Boneco de neve, reutilização de uma lâmpada, da autoria da sobrinha/afilhada
 Bolas de esferovite forradas com tecidos, da minha autorira!
 O ramo foi pintado de branco, também por mim!
Os Pais Natal...esses foram oferecidos há muitos anos. Adoro-os!
Fotografias| Butterflies & Hurricanes

Gosto de sentir esta magia natalícia que já se vive aqui em casa. Há uns instantes atrás, sem me dar conta, comecei a vaguear pelas memórias dos Natais da minha infância… Recordo-me que era mágica aquela ansiedade infantil vivida antes de se iniciar todo o ritual de decorar a casa, enfeitar o pinheirinho e montar o presépio. Mas não havia nada de mais belo do que a euforia provocada pela expetativa da tão desejada chegada do Pai Natal…Eu e as minhas irmãs, a muito custo, mantínhamo-nos acordadas até à meia-noite do dia 24, e… “façam pouco barulho: - escutem, é ELE!”. Não havia excessos na generosidade do velhote de barbas brancas, mas fazia-nos sentir tão especiais! A minha mãe, como a minha mãe dava amor, cor e sabor àqueles Natais… Boas Memórias, Muitas Saudades (imensas)…

RECORTES DE IMPRENSA| "Somos todos bonitos e feios"

"Gracie Hagen é uma fotógrafa e videógrafa americana, residente em Chicago. Como artista, aborda principalmente temas relacionados com o corpo — o conceito de beleza, os conceitos de perfeição, defeito e de realismo. Não destoando, Gracie criou o projecto "Illusions of the body". Neste projecto, a artista justapõe um retrato lisonjeiro e outro em que o mesmo sujeito aparece desfavorecido. Com isto, a autora pretende realçar que, apesar da discrepância visual, se trata do mesmo corpo e que a noção de beleza não depende de mais do que de um momento."Todos temos momentos em que parecemos bonitos e outros em que estamos desfavorecidos.", afirmou ao P3 numa entrevista por "e-mail". Segundo Hagen, os padrões culturais de beleza existirão sempre, mas chama a atenção para a tomada de consciência pública para o facto de os modelos apresentados nem sempre serem realistas. O papel dos media na criação e perpetuação dessa imagem é preponderante. A criação de um modelo inatingível fomenta o consumo. Em busca da perfeição, o cidadão médio vê-se na necessidade de se aperfeiçoar e de, para isso, consumir produtos que o permitam atingir os resultados pretendidos. "Comparamo-nos às fotografias de modelos, embora a grande maioria de nós saiba que essa também não é a sua aparência na vida real. [...] É iluminação, ângulo, photoshop, gestualidade..." Por isso, Hagen sublinha "Devemos celebrar as nossas diferenças e as estranhas contorções que o corpo humano é capaz de realizar.""

Vejam algumas fotografias aqui: Somos Todos Bonitos e Feios

De facto, depois de visualizar as fotografias, concluo que a atitude e postura fazem toda a diferença. Não concordam?!

PRENDAS DE NATAL

Entre os familiares e amigos sou conhecida por fazer excelentes compras a preços imbatíveis. Segredo: requer pesquisa e paciência!

Primeiro: faço a lista das pessoas a quem irei oferecer prenda.
Segundo: para cada pessoa penso em duas ou três possíveis prendas (a associação prenda pessoa é sempre feita com muito carinho), e defino um plafond – o meu limite de despesas autorizado!
Terceiro: consulto preços na internet, consulto preços em lojas,… Nesta fase estão proibidas as compras, apenas são permitidas anotações:  onde e a que preço e, eventualmente, novas sugestões de prendas. As compras são autorizadas caso surjam campanhas e/ou promoções que me permitam comprar o que quero a um preço mais em conta!
Esta é a fase que requer mais paciência.
Quarto: depois de comparados artigos e preços, esta é a fase das compras!

Não vou dizer quanto gastei nem o que comprei, mas garanto que estou para lá de feliz com as compras que efetuei e, incrivelmente, superei as minhas expectativas quanto aos gastos. Confesso ainda que, no hora de avançar, a minha preferência recai na compra pela internet (o impulso da compra é mais facilmente controlado. Já pensaram como o ambiente de loja - disposição dos artigos, músicas, pessoas a comprarem,... - nos persuadem à compra?).

Quinto: esta é a fase dos embrulhos. Adoro fazê-los e personalizá-los.
Não imaginam o quanto gosto de me dedicar a esta tarefa... No conforto de casa, perto da árvore e sentada no chão, a ouvir músicas natalícias... Realmente, coisas tão simples fazem-me tão feliz!

AUTO

Existem “coisas” que ninguém pode fazer por mim, tenho de ser a responsável máxima e devo fazê-las:
Autoanálise; autoavaliação; autoconfiança; autocontrolo; autodefesa; autodeterminação; autodinâmica; autodisciplina; autodomínio; autorrespeito. E terei meio caminho andado para o sucesso nas várias dimensões da minha vida.

Tão importante. Tão simples. Tão difícil!...

DO MEU NATAL [3]| A Divina

Fotografia| Butterflies & Hurricanes
Fotografia| *doutrolugar

Fazendo uso das suas palavras, a * doutrolugar confeciona "bichos de pano feitos à mão com materiais naturais, reaproveitados e reciclados." Bichos pelos quais sou apaixonada, conheçam AQUI e logo perceberão porquê! A minha Divina comprei-a  na loja e galeria Objectos Misturados conheçam AQUI.

Ah!A Objectos Misturados já tem loja online. Espreitem aqui: http://objectosmisturados.tictail.com/


SE TIVESSE NASCIDO MÚSICA? [1]...

Assim para começar...
Se tivesse nascido música, gostaria de ter sido concebida pelos SIGUR RÓS! Pela força emocional, pela magia, pela singularidade, pela qualidade, ...

FRASE DO DIA| O que é único não é melhor, nem pior. É apenas isso: único.

E pensando nos meus, concluo que não me interessa o quão melhores ou piores são aos olhos dos outros, pois, não minha vida, eles são assim: únicos. E de tão únicos, e de tão "vestidos de si mesmos", são, para mim, os melhores!

Ah! E acho bem mais interessante trabalharmos para a nossa singularidade do que para rankings. Pois iremos ser, com toda a certeza, únicos na vida de alguém!

HOJE FUI PARA A COZINHA| Cookies (rápidos e simples) de banana e aveia

Fotografias| Butterflies & Hurricanes
  • 1 banana esmagada
  • 2/3 colheres de sopa de farelo de aveia integral ou aveia integral em flocos finos (juntei ainda meia colher de sopa de linhaça moída)
  • 2/3 nozes picadinhas (ou outro fruto seco a gosto)
PREPARAÇÃO
  • Misture tudo
  • Disponha pequenas porções num tabuleiro (não untei, usei papel vegetal)
  • Leve ao forno (pré-aquecido a 180º) até ficarem bem douradinhos

A meio da manhã, a meio da tarde…recomendo! São uma delícia, simples de confecionar, saudáveis e económicos. 

BREVES DESABAFOS





Apesar de ter nascido no esplendor dos dias longos e noites curtas, gosto precisamente do contrário. É esta a minha glória: ser do contra!

E como gosto da CAMPANHA DO AGASALHO friozinho APROXIMAÇÃO calor humano NATAL cobertor AQUECEDOR neve CHOCOLATE QUENTE lareira UM BOM LIVRO licor PANTUFAS TEMÁTICAS luvas GORROS mantas CACHECÓIS meias de lã BOTAS sol lindo FOGUEIRA abraço RESPIRAÇÃO banho bem quente CAMA…






© Ilustração by (querida amiga) Mafalda Gomes

FRASE DO DIA| "Todo o ponto de vista é a vista de um ponto."

"Todo o ponto de vista é a vista de um ponto." Ora nem mais. E para entender como alguém lê, é necessário saber como são os seus olhos e qual é a sua visão do mundo. Como diria o psiquiatra Danesh, "as numerosas facetas da realidade requerem que sejamos tolerantes e que evitemos o fanatismo, aquela teimosa insistência da verdade pessoal como se fosse absoluta..."

DO MEU NATAL [2]

No conforto de casa, porque lá fora o frio aperta, entre Presépios e Pais Natal já se sente o espírito natalício.

Com que emoção eu vou?


Visualizar esta "campanha" deixou-me pensativa, pois um dos meus maiores medos é a aproximação do fim da vida - não da vida em si, porque esse sei-o como garantido -, refiro-me ao fim de qualquer probabilidade de mudança na minha vida. Para quem vive mergulhada em ideais, sonhos, vontades, aspirações... este será sempre o maior dos receios: a possibilidade de o "relógio pessoal" me dizer: "não dá mais, o tempo esgotou-se"e, olhar à minha volta, e perceber que ainda haveria tanto para concretizar...
E, de mim para mim, motivada por esse medo, ordeno:

Se tiveres de recomeçar, recomeça.
Se te sentires ofendida, manifesta-o.
Se tiveres opinião, opina.
Se tiveres de avançar, avança.
Se te perderes, reorienta-te.
Se falhares, tenta de novo.
Se tiveres dúvidas, pede ajuda.
Se te sentires culpada, corrige.
Se te sentires grata, retribui.
Se não der mais, põe um ponto final.
Se quiseres ser respeitada, respeita.
Se estiveres apaixonada, declara-te.
Se quiseres ser grande, sê humilde...
...Só, por favor, não fiques aí parada, resignada.
Enquanto tiveres tempo...Vai!

Com que emoção eu vou? Depende. Mas procuro sempre ir!...

TEXTOS DE PSICOLOGIA| Hoje resolvi falar sobre "Gestão de Conflitos"

NATUREZA DOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS
Quando nos relacionamos com os outros esperamos reciprocidade, isto quer dizer que desejamos dar, mas também receber, escutar e ser escutado, compreender e ser compreendidos. O nosso comportamento influencia o comportamento do outro, tipo boomerang (o que vai regressa). Podemos enviar boomerangs positivos e/ou negativos. A forma como irá decorrer a relação interpessoal depende da forma como nos relacionamos com os outros.

CONFLITO, QUAL O SIGNIFICADO?
Quando pensamos em conflito, sabemos o seu significado, porém, a dificuldade surge quando temos que o definir.
Em termos gerais, o conflito é uma situação em que dois ou mais interlocutores têm objetivos diferentes, geralmente opostos e mutuamente exclusivos, que desenvolvem atitudes e comportamentos de hostilidade. A essência do conflito parece estar no desacordo, na contradição ou na incompatibilidade.

Independentemente do tipo presente, o conflito pode ser considerado positivo, caso concorra para a mudança, a inovação, a competição (não patológica), a motivação, a produtividade e a qualidade, fundamental como instrumento de gestão para combater o imobilismo, estaticismo e ausência de novas ideias; porém, também pode ter uma dimensão negativa se resultar em tensão, ansiedade, stresse, desperdício, clima hostil, más relações, situação insuportável.-
As perspetivas atuais encaram o conflito como sendo inevitável e um elemento vital para a mudança.

NUMA ORGANIZAÇÃO/INSTITUIÇÃO, QUAIS AS CAUSAS DOS CONFLITOS?
  • Falta de comunicação (ou má comunicação)
  • Valores, interesses e objetivos diferentes
  • Regras, normas e procedimentos impostos
  • Procura de autonomia e participação
  • Exercício hierárquico

NUMA RELAÇÃO INTERPESSOAL, COMO GERIR O CONFLITO?
  • Garantir clima de abertura
  • Pedir opinião dos outros sem penalizar a diferença
  • Mostrar interesse por outros pontos de vista
  • Observar comportamentos e perceber atitudes
  • Verificar coerência entre comunicação verbal e não verbal.

O conflito é uma situação comum que decorre devido às diferenças individuais ou grupais. A resolução do conflito exige negociação, ou seja, exige cedências de ambas as partes. Não pode haver um ganhador e um perdedor. Ambos devem sair dum conflito como ganhadores.

Uma técnica de discurso assertivo poderá ser utilizada para reduzir tensões entre as pessoas em qualquer domínio da vida familiar, particular ou profissional. Essa técnica é designada de DESC (descrever, expressar, sugerir e consequências). Trata-se de um método que pressupõe a negociação, como base do entendimento. Descrever de uma forma tão precisa e objetiva quanto possível. Expressar o que pensa e sente em relação ao comportamento, sentimentos, preocupações, desacordos ou críticas. Sugerir uma forma realista de modificar o comportamento.
Consequências benéficas da nova atitude proposta.

Esta técnica pode ser utilizada nos seguintes casos:
  • Quando é preciso dizer qualquer coisa de desagradável a alguém
  • Quando se pretende pedir qualquer coisa de invulgar
  • Quando é necessário dizer não áquilo que alguém pede
  • Quando se é criticado
  • Quando se pretende desmascarar uma multidão
Psicóloga| Liliana Fernandes
Butterflies & Hurricanes


BREVES DESABAFOS

Cada vez mais penso que nasci fora do meu tempo, numa época errada. Tenho valores que já se perderam. Oriento-me por princípios quase desconhecidos.Amo coisas que não se respeitam mais... Para ser mais precisa, nalguns aspetos sinto-me verdadeiramente "demodê"... Mas sinto-me bem!

Então, que seja doce, docinho! E quentinho!



(...) Por vezes penso: não sei bem como seria a vida sem dias cinzentos, frios, tempestuosos, ...O que sei é que quanto mais lavrado o solo, melhor será a colheita! -- Liliana Fernandes (Butterflies & Hurricanes), in Agenda-Heartless

TEXTOS DE PSICOLOGIA| Famílias Inteligentes (Considerações)

Todos somos, ao mesmo tempo, felizes herdeiros e desafortunados prisioneiros da nossa própria tradição familiar, que nos preexiste, e da história da transmissão de valores e padrões que começaram, pelo menos, uma geração antes de nós.
E é nessa receção e transmissão de valores que cada geração começa a trabalhar o seu mundo emocional.
  • Conhecer os valores e crenças, os ritos e mitos da nossa família significa conhecer, verdadeiramente, a nossa família. A partir daí podemos confiar melhor nos elementos que a constituem, pois sabemos o que cada um é capaz de fazer, criando assim uma autoconfiança familiar. E essa é possivelmente a primeira emoção a ter e manter: a autoconfiança familiar.

As emoções tendem a manifestar-se nos gestos e nas expressões utilizadas, que se propagam por todo o lado. Os filhos captam o grau de confiança de um pai pelo outro e dos pais em relação a eles, tornando-se, com isso, mais capazes. O SORRISO e o ELOGIO são das mais potentes armas para o desenvolvimento das crianças.
  • A vivência livre das emoções é fundamental, sejamos crianças ou adultos.
“Não se deve evitar a criança por ela ser criança”: participar nos seus jogos quando são pequenos, escutar a imaginação que flui na mente de uma criança e incentivá-la perante os seus êxitos é fundamental. Se a criança não sentir que possui um espaço seu, espaço esse que possa compartilhar com os pais, acabará reter as suas emoções dentro de si. Se o medo ao escuro for ridicularizado, já não contará nenhum dos seus receios aos pais (a quem então consultar quando tiver alguma dúvida?); se ao ser vítima de violência escolar a única resposta do pai for “um homem não leva, dá [‘porrada’]” o que aprende o rapaz? Ou, o que diz um comentário como “homem não chora” a um menino de cinco anos que caiu da bicicleta? Que as emoções são más e não são dignas de um ser humano?!

Pois bem, o ser humano é provavelmente o único ser vivo que pensa e sente. Que tem tanto uma como outra capacidade. E é isso que nos torna especiais: a liberdade de poder gerir as emoções, a liberdade de aprender as emoções que os nossos pais transmitem e a liberdade de transmitir a a vida emocional mais dignificante aos nossos filhos. Ainda, em quaisquer dessas confrontações deve-se estar ciente que a raiva, a frustração, o medo, a falta de (ou a má) comunicação, são condutas que podem não só originar o conflito, mas também mantê-lo vivo e dar-lhe mais força.
  • Cada um de nós, humanos, deve aprender capacidades de gestão ou resolução dos nossos conflitos. Para isso são precisas três coisas: intenção, esforço e ação. A intenção de querer mudar; o esforço no caminho certo; e agir, pois saber as coisas e não aplica-las não é suficiente!
  • Numa família inteligente, há espaço para que todos participem na resolução das coisas. Como diria o psiquiatra Danesh, "as numerosas facetas da realidade requerem que sejamos tolerantes (i.e. entender o ponto de vista dos demais) e que evitemos o fanatismo, aquela teimosa insistência da verdade pessoal como se fosse absoluta...O mais importante objetivo da consulta é o acto de justiça, para que os direitos de todas as pessoas afetadas pela decisão estejam salvaguardadas. Mas, naturalmente, nem todos podemos ter o mesmo peso nas decisões. Em decisões que impliquem os filhos eles devem saber que nalgumas podem interferir e noutras não.
  • E é esse o grande desafio das famílias inteligentes: saber o que fazer, como fazer e até onde fazer.
  • Qualquer ação implica a mudança de uma condição anterior e portanto requer um esforço.Todas as pessoas possuem as capacidades necessárias para que o seu esforço seja eficaz, resta saber se as utilizam: perseverança, firmeza, coragem e imaginação e criatividade para inovar e mudar de estratégias quando as estratégias anteriores não demonstram quaisquer efeitos.
Para concluir, a família inteligente é como um barco que, apesar dos ventos conduzirem as velas num sentido, ela própria é capaz de definir o caminho através do vapor emitido pelo engenho interno do barco. E aqui é imprescindível a parceria e a ajuda mútua de todos…

Psicóloga| Liliana Fernandes
Butterflies & Hurricanes

Pensamento do Dia

Passem a vida na eterna felicidade de sempre ter alguma coisa para desejar, alguma coisa pela qual esperar, planos não realizados, sonhos que ainda não se transformaram em realidade. Tratem de ter sempre novas referências no horizonte, criem-nas deliberadamente. E, ao mesmo tempo, revivam as vossas memórias, sustentem-nas e acarinhem-nas, mantenham-nas vivas e partilhem-nas, falem acerca delas... 
Façam planos e tirem fotografias! -- Liliana Fernandes, in Agenda-Heartless

Imagem do Dia
Já saltou do armário para o meu colo!
Fotografia: Butterflies & Hurricanes

DO MEU NATAL [1]| O ambiente natalício (timidamente) instala-se

© Fotografias: Butterflies & Hurricanes
Presépio 1 - Artesanato Português
Presépio 2 - Artesanato Peruano